quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Um teste comportamental

Eu sou uma pessoa encrenqueira e de opiniões fortes. Traduzindo: chata. Eu prezo muito o respeito pela opinião alheia, mas acabo certas (muitas) vezes não praticando esse respeito. Não que eu saia por ai xingando quem pensa diferente de mim, mas acabo debatendo as coisas de uma forma muito ferrenha e acabo me indispondo com as pessoas. Esse é um dos meus defeitos. Eu também sou grosseira desnecessariamente, quando poderia apenas ter respondido de forma normal. Eu sempre fui assim e acho que me faltou quem fizesse isso de volta comigo pra que eu parasse pra analisar no que eu estava me tornando: uma pessoa insuportável. Não sou assim sempre e nem com todo mundo. Tem pessoas que eu simplesmente não consigo dar uma resposta torta. Mas a escolha de com quem ser doce e com quem ser amarga não faz nenhum sentido. Na verdade não é uma escolha; acontece. E isso muitas vezes faz eu ser injusta com pessoas que são legais comigo; pessoas que só queriam conversam e levaram uma patada aleatória. Poderia culpar muita coisa aqui: os hormônios, o estresse do dia, a preocupação, a ansiedade. Sim, todos esses fatores influenciam muito no comportamento de uma pessoa. No entanto, não acredito que esse seja o meu caso. O esquisito é que muita gente gosta de mim por eu ser desse jeito. Não importanta o que ou quem você seja, sempre alguém vai gostar de você. Mas isso não quer dizer que você deva repetir aquele clichê "eu sou assim e pelo menos sou sincera" e achar que tá tudo lindo. Não é assim que as coisas funcionam. Você tem total controle sobre suas atitudes. Você não é assim e pronto. Você está assim e pode estar o que quiser, quando quiser. Então por que não estar mais vezes agradável do que o contrário? Certas pessoas e situações merecem nosso lado mais ríspido e sem compaixão. Contudo me pergunto se eu estou sabendo identificá-los. Acredito que não. Estou desperdiçando meu amargor em pessoas que ou não merecem por serem muito legais comigo, ou que não merecem que eu gaste energia com elas. Tendo isso dito, decidi fazer um exercício nos próximos dias. Ao final de um período, vou tentar entender se tratar as pessoas da melhor maneira possível me trouxe benefícios, ou se me sufucou de tal maneira que me fez mal. Porque guardar as coisas só pra parecer agradável pode ser destrutivo. Por fim, vou tentar verdadeiramente controlar meus atos (já que sou dona deles) e ver o resultado disso tudo. Pra cada um esse teste certamente terá resultados diferentes. Não sei se consigo, mas não me custa tentar. Quero ser lembrada pelos meus defeitos, mas não somente por eles.

Um comentário:

  1. Conheci bem essa grosseria kkkkkkk mas depois de um tempo, com ajuda do destino, do cna, de uma curiosidade e um impulso, ficou tdo de boa hehehe

    ResponderExcluir