terça-feira, 22 de novembro de 2016

A minha importância no universo

Não vou negar minha arrogância. Todos nós somos arrogantes em inúmeros momentos da vida; na maioria das vezes nem notamos. O motivo Freud certamente explica melhor que eu. Não tem como escapar. Em dado momento você se sentirá superior independente do motivo. Seja pela classe econômica, gostos, gramática, política, vestimenta, ou quaisquer outros motivos. Vez ou outra você vai cair na armadilha de achar que é melhor que alguém por algum motivo banal. E digo banal porque quero fugir da obviedade de que alguém que não faz o mal é melhor do que quem faz. Me refiro apenas ao banal, como os exemplos que já mencionei acima. O que me surpreende não é fazermos isso sem querer. O que ainda me surpreende é fazermos isso de propósito. Nós não somos nada. Nós somos uma passagem irrelevante no tempo. Nós somos poeira cósmica. Nem mesmo a pessoa mais importante e influente e bondosa do mundo pode se sentir acima de qualquer coisa, pelo simples fato de que não somos nada em relação ao universo. Somos insignificantes e não digo isso para inferiorizar ninguém, porque não preciso fazer isso; o universo já nos mostra isso por si só. Mas claro, temos nossa importância nessa nossa sociedade - grandes merda de sociedade. E, levando em consideração essa nossa importância paradoxalmente insignificante, me pergunto o motivo de alguém querer soar arrogante propositalmente. Pra provar pra si que tem algum atributo relevante? Ninguém se importa. NOBODY YES DOOR  Se você tem algum atributo relevante, que bom pra você. Faça bom uso disso. Bom uso. Não perca seu tempo sendo propositalmente arrogante, porque isso só te faz ficar com cara de palhaço (ou perca). Claro que é bom se sentir bem com seus próprios pontos fortes. Nós devemos ter orgulho de quem somos e de termos alguma coisa boa dentro de nós. Mas não se iluda achando que isso te torna melhor ou mais importante. Você é importante pra alguém, sim! Não mais importante do que alguém. Há quem discorde e ache que "sim, eu sou mais importante do que tal pessoa porque tenho mais conhecimento, mais classe, mais bondade", mas o fato é que, no final das contas, você será apenas uma lembrança por um período finito de tempo. Depois você terá sido mais nada. Ou talvez terá sido só uma pessoa na história que impactou a sociedade de certa forma, mas é só isso. Não há nada de especial em você que seja melhor do que o que há de especial em outra pessoa, mesmo que algum ato seu tenha mais impacto positivo do que os atos da outra pessoa. Não, não dá pra escapar da arrogância; tá dentro da gente. Tá dentro de mim nesse exato momento escrevendo esse texto como se o que eu digo fosse verdade. Precisamos disso pra senitr que temos algum significado no meio desse monte de nada confuso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário