segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Morning kiss

In dreary lonely uneventful days
When it does not suffice any sun light
I try picturing the face of yours
To my heart it comes as such a delight

In cold tedious rough nights
When no summer heat warms me quite
I try picturing that smile of yours
To my soul it feels so bright

However,
When those three days finally arise
And thy body I have the chance to climb
All my fears are replaced by that bliss
Which comes from thy sweet and tender morning kiss

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Sabe-se lá...

Quantos caminhos, quanta expectativa!
Muito para viver quando
O que eu mais queria mesmo era
Me espreguiçar uns minutos a mais.

Quantos degraus, quanta agonia!
Muito para debater quando
O que eu mais queria mesmo era
Ficar no silêncio por umas horas a mais.

É tudo muito simples e tão caótico!
"Um paradoxo do pretérito perfeito
complexo da teoria da relatividade"
E tudo o que eu mais queria mesmo era...
sabe-se lá!


terça-feira, 12 de agosto de 2014

43 coisas

Estava lendo um desses artigos sobre coisas que você pode fazer para melhorar o seu dia. Era uma lista de 43 coisas. Parece muito prático para dar certo, mas algumas coisas até que fazem sentido. Há também quem diga que o texto mais parece auto ajuda e que isso não serve para nada, mas não há como negar que pelo menos um item da lista vai te fazer pensar...  Obviamente, para cada pessoa, essa lista pode variar significantemente. Mas o fato é que ficamos presos na nossa rotina e, por mais que essa rotina seja maravilhosa, que mal faz adicionar mais coisas boas ao seu dia?! Entre plantar coisas, fazer uma longa caminhada, colorir um livro de criança e etc (como você pode notar, coisas bem simples que às vezes deixamos pra trás por estarmos tão confortáveis com a nossa rotina), havia dois itens que me agradaram: escrever um poema e mandar um e-mail para algum (a) professor (a) antigo seu e dizer coisas legais. Bom, gosto de escrever e sou professora; claro que essas duas coisas me interessariam.

Como havia dito, nossa rotina pode se tornar tão agradável que acabamos por repeti-la dia após dia. Nada de mau há nisso, mas por que não torna-la mais agradável ainda? Estou perdendo o costume de escrever, e quem me conhece acaba achando que há algo de errado comigo. "Você está perdendo sua essência" é uma das frases que já ouvi sobre isso. Muitas pessoas ficam mais criativas quando estão passando por momentos mais conturbados da vida, momentos nos quais estamos tão pensativos que a criatividade transborda. Momentos de incertezas que precisam ser exorcizados de alguma forma. Claro que consigo escrever ainda, ainda tenho a vontade, a criatividade, mas acabo sendo tomada por essa tranquilidade que me tirou um pouco a necessidade de escrever. Mas, como sempre quis e ainda quero ser escritora, a tranquilidade não pode me parar. Criatividade também requer exercício. Não posso deixar meus sonhos de lado só porque estou em paz com a vida; nisso eu concordo com quem vem me questionar. Não quero que minha paz vire uma desculpa para não fazer uma das coisas que mais gosto.

Portanto, dessas 43 coisas listadas, numa delas vou me agarrar:  item 17 - escreva um poema. Não necessariamente poemas, mas vou tentar manter a mesma frequência com que escrevia antes; exercitar a criatividade. A faculdade sempre me trouxe muita inspiração por eu constantemente estar perto da literatura. Ao final da faculdade, acabei por diminuir essa proximidade, e acho que reverter esse quadro também ajudará. Melhor do que uma vida conturbada para te impulsionar, são as escritas de autores consagrados que têm muito a ensinar a qualquer um. Alguns textos servem pra tantas situações, parecem tão atuais, que você nunca mais esquece e acaba fazendo dele um dos seus princípios de vida. (Escrevo isso com Self Reliance de Ralph Waldo Emerson na cabeça; adquiri muitos princípios desse texto).

 Sei que (você gosta de brincar ...de amooores) muita gente não se importa com o que eu escrevo, sei que muita gente gosta do que eu escrevo, e sei que muita gente lê apenas para criticar. Nenhuma dessas três situações me incomoda. Já escrevi tanta besteira... também já escrevi tanta coisa bonita... o importante é que eu escrevi, mais ninguém. Mas se há alguma coisa em comum a todos nós, é o fato de que todos nós precisamos de algo que nos impulsione. É o que nos faz continuar em tempos que certas coisas (ou todas elas) parecem não valer a pena. Então, por que não ir até a lista e achar uma coisa legal para fazer? Grande abraço!

http://hellogiggles.com/43-simple-ways-make-happy