quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Escrever sobre não escrever.

Já faz um tempo que não consigo escrever. Já escrevi sobre isso aqui. E volto a escrever sobre não conseguir escrever. Nem aqui, nem no meu livro, nem em outro lugar qualquer. Mentira. Escrevi uma coisa ou outra no confidencial. Parece que depois que saí da faculdade perdi um pouco da inspiração. Ou o saco. Ou talvez eu já não tenha mais o que dizer aos outros, só a mim mesma, e por isso escrevo só para que eu leia. Fico batendo nas teclas do laptop a fim de esboçar alguma coisa, mas só sai esboço e nunca arte final. Nem o esboço pode ser considerado esboço; seria muito elogio ao que venho tentando escrever ao público. Acho que, na maioria das vezes, acho tudo muito ultrapassado, batido, old news. Venho me sentindo old news. Tanto eu quanto minhas palavras. Acho que me deparei com a sensação de que o que eu escrevo não é muito interessante. Tudo que eu digo todo mundo já sabe, já ouviu, já pensou. O problema é que antes eu gostava dessa similaridade. Gostava de escrever e saber que muitos pensam da mesma forma. Mas hoje em dia, não sei... acho que hoje em dia há uma grande obrigação de ser inovador, diferente, brilhante. Quanta pressão! Não acho que esperem isso de mim - não acho que esperem nada de mim-,  mas acho que esperam isso das pessoas de uma forma geral. Anda tudo tão rápido que sinto que tudo o que eu digo já foi dito milhões de vezes e milhões de vezes mais interessante do que como eu digo. A falta de inspiração e falta de interesse em minhas próprias palavras me fazem ficar cada dia mais distante disso tudo. Tenho amigos que escrevem sem parar. Mesmo quando há bloqueio, eles escrevem. Já fui assim. Já disse, por exemplo, "é só sentar e escrever". Mordi a língua e vejo que não é tão simples assim. Já foi, um dia... Hoje, pra mim, já é muito mais complexo abrir uma página e começar uma nova prosa ou uma nova poesia. Falar sobre o quê? Falar por quê? Pra quê? Ando admirando muito mais o silêncio. Ando preferindo ler os outros do que que os outros me leiam. Acho que é basicamente isso. Vim aqui me forçar a escrever mesmo sem ter sobre o que escrever. Missão cumprida. 

2 comentários:

  1. Você diz que não tinha o que escrever, mas fez disso algo pra se escrever sobre, percebeu? haha
    Nada, nenhum pensamento é novo, nenhum assunto. Quem produz arte tem que respeitar isso, mas antes de tudo respeitar a si mesmo -- escrever quando achar que precisa, quando for o momento.
    Como leitor, agora; não interessa quantas vezes eu li sobre algo ou a forma que algo é escrito por "Y" ou "Z", mas sim O "Y" e O "Z". Pouco me importa se o que Y escreveu soa mais interessante que o que Z escreveu, porque o Z é foda e eu quero ler Z, saca?
    E se te alegra de alguma forma dizer isso, sinto saudade dos teus textos. (:

    ResponderExcluir
  2. aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah! GAROTO! *-* I miss you so badly!

    ResponderExcluir