terça-feira, 5 de novembro de 2013

Fragmentos

O dia em que você não consegue dormir, e não consegue pensar em nada enquanto não dorme. Ao mesmo tempo muitas coisas passam pela sua cabeça; muitos fragmentos. São pedaços que você tenta encaixar, mas que não fariam sentido algum se assim você o fizesse. A forma quebrada e torta, desencaixada, sempre me pareceu ter mais profundidade. Porque o que há no completo, senão a falta de objetivos? Se tudo se encaixa, não se tem mais por onde procurar por nós mesmos. É o fim da linha.