quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

A ave e o seu bando.

Fui trabalhar.
Precisava me preparar.
Fui para o canto mais escondido do ambiente.
Acendi o meu cigarro.
Dei um trago.
Olhei para o alto.
O céu estava muito claro.
A claridade incomodou meus olhos.
Fechei os olhos.
Assoprei a fumaça de olhos fechados.
Abri os olhos.
Vi alguns pássaros.
Os pássaros estavam em bando.
O bando voava em movimentos aleatórios.
Me desconcentrei olhando o movimento das aves.
Me concentrei olhando o movimento das aves.
As aves são livres de nossas regras.
Pensei que as aves devem ser presas às próprias regras.
Mas as aves podem voar usando o próprio corpo.
Nós voamos com a própria alma.
O bando foi embora.
Uma das aves ficou.
Não entendi por que ela não foi junto.
Talvez não quisesse seguir as regras do bando.
Senti-me aquela ave.
Não sou aquela ave.
Apaguei o meu cigarro.
Fui trabalhar.

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Issues.

People are just the same, only with different issues. Yet, the issues are the same all over the world. Psychology may study, however the only potencially problem solver is the person facing that sort of problem. And still, most of people can`t. "Isn`t it ironic?" We spend our lives either solving our issues or learning to live with them. When you solve them, you are still not done. There will always be other issues. If instead of solving, you learn to live with them, and you just don`t care about it. Other people do care. Living in society is hard (orly?), `cause you must care about you and about others. Even if you show you don`t "have to" anything, you do! Even if just to survive. I`m not a fan of this verb: to survive. I like living. Living with my issues, with my wrongness, with my qualities and flaws. I can too survive, but I`d rather live. But everything comes with a price. Can you live with your issues and its price? I surely can. I can deal with all the wrongness. I can deal with the prices. I don`t have any problems with having problems. But you know, just leave me alone with my problems. But it`s not that easy. Even though I really like my wrongness, I really like being right. I can be wrong, and I can say and realize I`m wrong, but I always want people to think I`m right, regardless. I think that`s the concept of the adjective "stubborn". I indeed am stubborn. Probably the most terrible issue in me. And still, I love it. I`m going round in circles here. And that`s another big one. I argue with myself all the time, and it`s always endless. Well, I don`t believe the end is the top. The top is the while.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

All the poeple living in her head.

She used to hear this mind-fucking noise coming from inside of her head. It took a while for her to understand where were the voices coming from. There were the voices telling her who she was. Or who she should be, at least. Familiar voices. She used to like those voices. But now she just bears the voices. Well, now she`s considering another plan. She will figure something out, because she cannot live that way, anylonger. Everything is in the wrong place, all the time. The world out there is rejecting her, so she tends to be inside. Inside of her house, inside of her room, inside of her mind. She does not hide. She just wants to be safe, for a while. Safe, where nobody else can hurt her. Never again; for a while. But if someone enters, she will have to stand up rather than fall down. She is not afraid. She is just confused. And numb. She just cannot understand all her wrongness. She feels like she couldn`t be more inappropriate. Everybody else around her is better, and smarter, and right, and beautiful, and they make so much sense. They fit right in their tiny little world. Tiny little heads. Her head was just too big. And she used to see this mind-fucking shadows on her apartment wall. And they were there to tease her. Just like in real world, she knows they are there, but she just cannot touch them. She cannot reach them. All her monsters could be named one: happiness. Her happiness was there. She could hear it, she could see it, and somehow she could feel it. But immediately, it was gone, again. And again. It was like she was hunting her monster forever. And they controlled her. And she was living to do so. And she forgot the most important thing about the whole deal. When you have nothing else, grasp what you do have, even if it`s bad. Even if what you have is a terrible voice inside of your head, or a shapeless shadow on your wall. If that`s what you`ve got, just take it. Don`t spend your whole life trying to have what you can`t. Don`t underestimate what you have. Don`t take yourself for granted.

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Adorável psicopatia.

Principais Sintomas

1. - Encanto superficial e manipulação
2. - Mentiras sistemáticas e Comportamento fantasioso.
3. - Ausência de Sentimentos Afetuosos
4. - Amoralidade
5. - Impulsividade
6. - Incorrigibilidade
7. - Falta de Adaptação Social

Leia mais em: http://psicopatasss.blogspot.com/2009/08/sintomas-psicopatas.html
Ou em: http://www2.uol.com.br/vivermente/artigos/o_que_e_um_psicopata_.html

Lendo pouco sobre, a priori tive a sensação de que psicopatas são humanos normais, só que não-domados. Psicopatas, ao meu leigo ver, seriam aqueles que não seguem doutrinas ou regras, usam seus instintos; não são manipuláveis (apesar de manipularem); não socializam pelo fato da grande maioria ser domada, e isso não ser natural ao ver de um psicopata; e não foram inseridos na mentira chamada "sentimento afetuoso". Vamos desenvolver esses pensamentos.

Nós, criados em sociedade, somos doutrinados e regrados para aquela específica sociedade. Não cabe a você escolher ou ditar as regras, você já nasceu condicionado à elas. Então o conceito de certo ou errado nos é imposto desde sempre, não é algo que construímos naturalmente, espontaneamente. Se você nascesse numa sociedade aonde é natural matar alguém por ela ser de uma certa religião não aceita (isso já existiu e provavelmente existe até hoje), seria muito provável você fazer o mesmo. Porém, na sociedade que você hoje vive, isso é errado. Na sociedade antes citada, errados seriam aqueles que não concordassem com os assassinatos. A monogamia também é um exemplo de regras impostas pela sociedade, pois em algumas sociedades orientais, isso é normal. É errado um homem transar com uma menina de 12 anos, mas há poucos anos os próprios pais mandavam suas filhas se casarem o quanto antes. As regras também mudam de acordo com o tempo. Como confiar em regras tão mutáveis? Aqui então já entramos no conceito torto de moralidade. Tudo é muito relativo e discutível. O difícil é vermos pessoas com pensamentos particulares sobre todas as coisas. As pessoas seguem padrões. E não digo que isso é errado. Nem que é certo.

Os psicopatas não se encaixam em nenhum padrão. Na verdade, hoje a psicopatia é um dos assuntos mais estudados exatamente por ter características pouco padronizadas, apesar de algumas características serem bem particulares. O psicopata age com sua impulsividade pois o filtro chamado "sociedade" não existe para ele. Obviamente cruzamos a linha do aceitável, para nossa sociedade, quando vemos assassinatos, torturas, ou coisas do tipo, onde o autor é um psicopata. É absurdamente cruel o que psicopatas conseguem fazer, e fazem. E fazem exatamente por serem "crus" no sentido de regras. Mas vamos combinar também que é completamente visceral, e isso pode ser encantador. Quero dizer que psicopatas sim conseguem, sem arrependimentos, fazer o que de verdade sentem vontade. O sentimento que o psicopata tem, é esse. É visceral, e não "afetuoso" como estamos acostumados a sentir. Sentimento de amor, carinho, cumplicidade, etc. Nada disso existe (em geral) em um psicopata. E você, como uma pessoa "normal", não sente um pouco de inveja disso? Não sentir-se dependente de ninguém? Porque sentimentos afetuosos nos deixam irracionais e dependentes. Por isso acredito que psicopatas são sim muito racionais. E por isso até, são chamados como tal. Pois fazem tudo friamente, raciocinando. Não são simplesmente loucos que saem fazendo maldade por ai por não estarem raciocinando. Eles fazem maldades calculadas e raciocinadas.

Apesar de serem impulsivos também, fazem tudo com consciência. Coisa que nós, meros normais, agimos com sentimentos, e somos irracionais e quase sempre, atropelados por causa disso. Quantas vezes você foi derrubado por ter agido com seus sentimentos ao invés de ter agido friamente, com o cérebro e sua verdadeira função, ao invés de uma função fantasiosa que demos ao coração? Os psicopatas aprendem isso, aprendem que o resto da sociedade é movida por regras e sentimentos irracionais, e por isso conseguem manipular muito facilmente e jamais se deixam ser manipulados. São pessoas que tem uma visão mais abrangente sobre o ser humano, sobre a figura ampla. São muito inteligentes. Eles analisam e utilizam suas armas mentais para manipularem as pessoas e conseguirem o que querem. E quem nunca fez isso? Quem nunca deu um sorriso quando não quis dar? Acho que todos temos traços psicopatas, mas não somos por completo por termos nascido com esse filtro ligado à sociedade. Os crimes e as crueldades cometidas pelos psicopatas podem não ser tão adoráveis assim. Ou talvez sejam, para alguns. Mas fato incontestável que a mente dessas pessoas é brilhante. São pessoas extremamente diferentes das comuns, e mesmo assim sabem lidar com essas pessoas tão diferentes delas. Nós não sabemos lidar com psicopatas; eles sabem lidar muito bem com a gente.

O psicopata é incorrigível porque ele acha que está certo e que nós estamos errados, e com isso se recusa a mudar. Então, nós também somos incorrigíveis, porque achamos que nós estamos certos e eles errados. Eles são os loucos, nós os saudáveis. Ao ler sobre, me deparei com as palavras "egocentrismo" e "megalomania". Bom, a maioria das pessoas, principalmente as que vivem dentro de um sistema capitalista, é portadora dessas características. Estamos sempre querendo ser os melhores. Sendo estudando, nos aprimorando para subir de cargo, querendo ter mais dinheiro, mais posses, sermos mais bem vistos dentro da nossa família (mesmo que não nos demos bem com a nossa família), querendo ter mais poder, ou mais amizade, mais atenção das pessoas. As pessoas querem ser famosas, ricas, brilhantes, admiráveis. Quão egocêntrico e megalomaníaco é isso?

As mentiras sistemáticas são bem compreensíveis, também. As pessoas gostam de ouvir mentiras. E todas aquelas que dizem que preferem uma verdade doída ao invés de uma mentira doce, ou são fortes demais ou mentirosos demais. Você pode até aguentar uma verdade doída, e pode aprender com ela, se tornar uma pessoa mais forte, etc. Mas dizer que prefere/gosta de ouvir coisas ruins sobre você ou sobre a sua vida saindo da boca das pessoas, isso não me convence. É sempre melhor ouvir coisas boas. É muito fácil prender a atenção de alguém quando se está dizendo coisas doces. Algumas pessoas insistem em não serem assim. Falam o que pensam, bem na cara, preferem dizer as verdades doídas. E na maioria das vezes essas pessoas são criticadas e/ou mal-compreendidas, não é verdade?! São chamadas de grosseiras, mal-educadas. Tendo isso em vista, o psicopata mente, distorce sua realidade para conseguir o que quer. Ele entende a sociedade em que vive, apesar de não fazer parte dela. Algumas vezes, o que eles querem é simplesmente explodir a cabeça de todas essas pessoas que adoram ouvir doçuras, e que são tão dependentes.

Falta de adaptação social: totalmente compreensível. Só loucos (pessoas normais) aguentam viver no meio de pessoas tão fúteis, mesquinhas, e burras, como nós. A cada dia sinto menos vontade de sair de casa. E ainda sou vista como esquisita por isso. Vocês já deram uma volta lá fora, com um olhar um pouquinho mais crítico? Se fizerem isso, ficarão apavorados. O psicopata, egocêntrico e racional, prefere a sua própria companhia. Dá para culpá-lo? Claro, existem pessoas maravilhosas no mundo, pessoas que querem mudar o mundo, que lutam por isso, que saem por ai fazendo o que podem, com ações altruístas (não acredito em ações altruístas), mas qual a porcentagem de pessoas assim no mundo? Qual a probabilidade de você conhecer alguém assim, in a life time?! Claro, todos temos defeitos, e aprendemos lidar com todos eles (ou não). Mas chega uma hora que seus defeitos e os defeitos dos outros já não convivem tão bem juntos.

Não estou aqui apoiando que as pessoas virem psicopatas, até porque acho que isso já nasce com você. Não adianta forçar ser legal assim, se você não nasceu legal como um psicopata, só na próxima vida. Nem sei ao certo se concordo com as atitudes, e muito menos estou dizendo que me comporto assim, como uma psicopata. Estou aqui apontando o que estudos não apontam: o lado adorável da coisa. Quisera eu, ter nascido psicopata.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Broco de carnaval

OK. Bloco de carnaval. Só os nomes já são sensacionais (not)

Lista:
- Dá cá tia
- Xupa mas não baba
- Perereca no pinto
- É pequeno mas vai crescer
- Escorrega na baba do quiabo
- Perereca Imperial
- Banda do cacete
( e assim vai )

PUTA QUE PARIU! (desabafo)

Agora vamos ao ambiente:

- Gente suada
- Gente bêbada
- Gente se empurrando
- Gente mijando na rua
- Gente cantando música idiota
- Gente feia
- Gente bonita sem conteúdo
- Gente sem educação
- Gente brigando
- Gente sem noção
- Gente.

Bom, claramente deve haver um lado bom. Eu simplesmente não consigo enxergar, mas se TANTA gente vai, algo de interessante deve ter. Vejamos:

- Assaltos
- Beijar quem nunca viu na vida
- Beijar que nunca mais vai ver na vida
- Barulho (vulgo música)
- Carros com som ensurdecedor
- Pessoas te agarrando à força
- Cerveja quente
- Calor dos infernos
- Fedor de suor

OK, não consigo MESMO enxergar o lado bom. Mas é isso ai, as pessoas gostam (de sofrer).

Sim, já fui a blocos. Sim, me diverti. Não, eu não sabia o que era diversão, e ficava satisfeita com qualquer merda.
Bom, talvez os blocos mais tradicionais tenham como objetivo socializar, divertir, entreter pessoas. Se esse é a antiga definição de bloco de carnaval, ela é bonita. Mas a nova definição, o novo objetivo, não me atrai. E aquele papo "não estou julgando quem vai, mas eu não gosto" é balela. Estou julgando sim quem vai, mas provavelmente as pessoas que vão me julgam por estar julgando... é isso ai que as pessoas fazem, estou aqui fazendo a minha parte.

Making choices.

Sometimes we go down the road and we realize how much time we`ve wasted. Sure I can say I learnt from my mistakes. But it surely would be much better if I`d saved all this time, and spent it with people who actually deserve someone else`s time.
We obviously can`t look back. What has passed, has passed. But we also can start writing a new story, whenever we feel like. It depends on us. Your life depends on you. If you don`t do something about it, nobody else will.

We will never be able to make no mistakes, but we can reduce the stupid ones, the ones which are not worth your time. People can be a mistake. Actions can be a mistake. Inertia can be a mistake. How about reducing them as much as possible? You are allowed to do something and regret later. But it surely would be perfect if we could only do things we`d never regret. Even when we do bad things, these bad things should never be the regretable ones.

I believe a bad judgment causes regrets. Some mistakes are good enough to become a funny and nice story to tell later. But there are some we would rather hide. When you get tired of something, that`s the time to move on, and change. Changing can be difficult, but challenges are good. And you must manage not to fail this task. We need changing once in a while. We need to experiment being different things. We`ll always be the person we were born to be. Our essence may never change. However, our attitudes can contribute to a better life.

Most of our mistakes envolve people. When people judge you for a bad behavior you had, you should realize either if the bad behaviour itself was the problem, or if the problem was the people`s judgment. Sometimes, our mistakes are genuine, and what we learn, is that the whole time, the mistake was not just our bad behaviour, or a bad choice, but the people we allow to judge our behaviour. The people we allow to enter in our particular story. Some people are just not worth it. And that`s ok, that`s quite normal. Choose between making mistakes and living a mistake. That choice will be essencial to your personal growth.

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Autumn love.

And I used to think love was something singular. It took me a long ride to realize that love is always plural. Plural, and yet, unique. Love is not static, love is movement. And love is a stage of your life, just like any other feeling. With this amazingly horrible feeling, many others come along. Some can be good, some can be bad. That`s not only because of love, that`s because of life. We cannot worship love, we cannot overestimate it, neither underestimate it. We must feel it. And it does not matter what, who, when, or even why. And if love ends, someday, somehow, it will come back. Because love cannot come from others, love must come from inside of you. So it will always be able to come back, when you`re ready. We cannot compare or measure the love we feel. Love is a state of mind, it`s a chemical reaction, it`s a momentary insanity. When we lose somebody`s love, it feels like we`ll never love again. But the thing is, you`ll always love again. There will always be someone that will help you forget the demages of the end of your last love. And if there isn`t someone to do that for you, the love you feel for yourself must be able to do it. It takes you a few summers, to really appreciate your autumns.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Believe Nothing

We are all pretenders. We pretend to like. We pretend to dislike. Everything suits us when convinient. Some people lie to make people happy. Some people lie because they want to harm you. Everybody lies, eventually. Always. And the only thing you can get when you believe things, is disappoitment. I`m not being bitter. And I`m not gonna say I`m being realistic. Because I tend not to like reality. I`m just saying, `cause it`s out there. A theory can fail, a person can lie, you can change, an animal can act with its instinct... and if you get hurt, in any level, you have only yourself to blame.