segunda-feira, 31 de outubro de 2011

O Ela moderna

Ela cheira à maquiagem
Ela pinta a própria alma
Ela se esconde no brilho
Ela finge não se importar

Ela é poliglota
Ela trabalha sua beleza
Ela também não come
Ela toma calmantes

Ela dança na pista
Ela sofre no escuro
Ela escuta o barulho
Ela vomita seu escudo

Ela vomita o seu agudo
Ela grita calada
Ela liga a televisão
Ela cansa de não se ver

Ela se olha no espelho
Ela torce o seu corpo
Ela extrai o suco da inveja
Ela acaba por ali

Ela se deita acompanhada
Ela dorme sozinha
Ela acorda de ressaca
Ela não quer lembrar de nada

Ela é rycca
Ela compra tudo
Ela compra até amizade
Ela comprou a própria felicidade

Ela vive assim
Ela não aprendeu outra forma
Ela é desse mundo moderno
Ela morre sem a ele ter pertencido

Nenhum comentário:

Postar um comentário