domingo, 27 de fevereiro de 2011

Charming Lucy

Legs of a Greek Goddess
Misery to my peaceful nights
Eyes sparkling her heat
And my sanity fades away
with every single beat

Each move and pace
turns me on
and makes me wanna taste

I cannot reach her
I cannot touch her
I cannot get over her
I don' t wanna forget her
I just need to own her

When a cigarette meets her lips
And she manages to make it hotter
Everything turns into slow motion

And I can tell this for sure
This I can state with certainty
I get closer to heaven
When I can glimpse her beauty
I'm about to lose all the control

She is not human
She is dream
She is nightmare
She is honey and gall

I could stay up all night
I could bear her all my life
I could lose my grip
Just to have a bit.


* Essa história é fictícia
Quaisquer semelhanças com a vida real é mera coincidência.

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

O dito pelo não dito

Palavras raramente são apenas palavras. Palavras quase sempre são o seu coração, a sua alma. Palavras que são repetidas incessantemente. Aquelas que menos são escutadas são quase sempre as que mais querem ser ditas. O poder da palavra está contido em quem a ouve. Sem atenção, a palavra não existe. Palavra pode ser mel, pode ser féu. Pode ser pedra. Trocada. Só atirada. Dentre todas as coisas que mais me mudaram, as palavras com certeza foram as mais culpadas. De todas as coisas que mais almejei na vida, muitas delas foram somente algumas palavras. Simples palavras. Conotadas palavras. Qual o valor de uma palavra? Qual o nível de relatividade de cada palavra? Eu escrevo as palavras. Eu balbucio palavras. Eu engulo palavras. Palavras são desnecessárias? Talvez só para quem não precisa ouvi-las. Mas e quem precisa dizê-las? E quem precisa senti-las? O sonho da palavra bem dita, ou até o pesadelo de uma palavra sinceramente e propositalmente mal dita. Palavra Maldita. Palavras infinitas. Posso ficar aqui para o resto da minha vida. Quebrar minhas teclas. Arder meus dedos. De nada vão valer. De nada as palavras valem se não tem ninguém que as façam valer. Ou valem até as que não são percebidas? Aquelas ditas com a alma valem? Fazem diferença? São palavras ao vento? Muitas palavras juntas tiram a paciência de que as lê, ou as ouve. Uma palavra pode valer mais do que vinte e duas. O ouro branco das palavras está na boca da qual ela sai, e na alma de quem ela entra. Obrigada pela atenção.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

To live or not to live?

Dying, at any levels, is easy; it`s soft. You close your eyes, you rest, you put an end to your problems and fears. Living is harder. You must be brave, you shall have guts. Imagine how sweet it can taste to sleep for good. How simple it can be to quit fighting the battles of life, and somehow, become a flawless soul to the ones who stay in this sin world. Living requires cunning, though. No journey is painless, even if it seems to be painless, it is not. Walking on life`s odd path is like playing with lions. You must be wise, sensitive, fastidious. The art of living is a gift for those with strong hearts, even if they don`t seem to be strong. The other ones... well, they give up. They cut their wrists, they jump off buildings, they breathe lethal gas, they do anything, but facing life. Even if not literally, they commit suicide. The living minds must be elevated, they should create, save, fight, change, make mistakes, learn from mistakes, lose control, know their soul, find their role. The ones who are willing to live, should be willing to have emotions, and they should know emotions take control of the situation once in a while. I`d rather suffer than don`t feel a thing. I intend to live the most I can, until the day I won`t be able to feel anything, anylonger, because the end found me, and not because I finally reached the goal of dying.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Songs of a coldly warm heart

Deixe-me só,
mas não me abandone;

Esqueça-me,
mas não me desame;

Arda em mim,
mas não me queime;

Agarre minha mão,
mas não me prenda;

Saiba quem eu sou,
mas não me investigue;

Fuja de mim,
mas não me renegue;

Enxugue minhas lágrimas,
mas não me faça perguntas;

Cante minha música,
mas não roube o meu tom.

domingo, 13 de fevereiro de 2011

João e meu coração.

João é meu amigão
mas às vezes ele é meio bobão.
Eu sou assim também,
acho que por isso a gente se dá bem.

Ele tem bundão, é malucão,
bebe de montão e adora zuação.
Vai rir das minhas rimas toscas
mas vai saber que fiz isso de coração.

Faço rima pra fazê-lo rir
e pra assim, falta de mim ele sentir.
João é o palmito da minha salada,
e comigo nunca fez nenhuma coisa errada.

Ou se fez já não me lembro,
só lembro dos risos
das bebices
das ressacas
das loucuras
das fofocas
das viagens
das outras viagens
das nights
da saudade
da amizade
do abraço
do amor
do carinho
da falta
da vida
ele é parte da minha vida.

Sinto falta de joão
e do seu pé de feijão.

sábado, 5 de fevereiro de 2011

The Strokes - Trying your luck

" you said you couldn't stay
you've seen it all before, i know
it shows you on their way
oh, honey, that's okay
no harm, he's armed
setting off all your alarms
when i find out
i hope it's you who's set this trap
and storefronts rarely change
at least i'm on my own again
instead of anywhere with you
oh, to me it's all the same
and i lose my page again
i know this is so rare
but i'll try my luck with you
this life is on my side
well, i am your one
believe me, this is a chance oh, oh
i see what is for sale
he's trying hard to give his job a chance
oh, it's never gonna be
it's habit i agree
the signal don't seem right
it last for just one night and then
i'm sorry that i said
that we were just good friends
no harm, he's armed
setting off all your alarms
they're trapped, I can't
be there in time, I'll think about that
and i lost my page again
i know this is surreal
but i'll try my luck with you
this life is on my side
well, i am your one
believe me, this is a chance oh, oh "

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Silent growth

And all that is left is my writing
All the silent words of my heart
The rhythm of my desperate dance
The trail of my footsteps

Love, above all, the love
Which has made me who I am
With all the disgrace
Made me fall from grace

The feelings of yore
which are still in my core
Those ones yet remain
Remain in silence

And silently I grow up
I grow old, I grow cold
But no weapon gets through my shield
It doesn't matter how hard is its steel

I cannot deny
I believe in mind
I believe in soul
I believe more in my heart, though

And so on I get on
I get all done, I overcome
I let it be
I'll wait and see

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

O mais feliz de todos.

Forte mesmo, é aquela pessoa que faz o que há de ser feito, não importa o quanto doa.
Herói é aquele que esconde tudo de todos, e que vive com a angústia de ser o único a saber de sua própria verdade, em prol de outros. Santo aquele que se dispõe a sofrer por uma crença. Por um amor, qualquer amor que seja. Louco mesmo é aquele que vive de seus sentimentos, e também morre por eles, cada dia de sua vida. Poeta é aquele que transforma lágrima em melodia, para os outros. Divina seja a pessoa, que em meio de tanto, consegue manter a pureza. Sábio é aquele que sabe escolher suas companhias. Respeitado seja quem souber manter a compaixão no lugar do ódio, e que souber fazer da sua dor, um aprendizado. Mestre na arte de viver é ela, a pessoa que mesmo sabendo que o destino já está traçado, faz suas escolhas cuidadosamente. Astro que sabe brilhar no escuro, nunca morre de solidão. Corpo celeste o de quem sabe que a verdade sentida é muito melhor que a verdade dita. Deuses em corpos humanos aqueles que sabem calar-se quando o silêncio cabe melhor do que palavras. Mas feliz mesmo, feliz é aquele que sabe caminhar sem olhar para trás.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Farewell

Um adeus para o que é necessário se despedir.