terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Incomode-me se for capaz.

É no meio da madrugada que os pensamentos, que mais te incomodam, surgem. Incomodar não é ruim. Não fazer sentir nada talvez seja. Os pensamentos que me incomodam, e me inquietam, são exatamente aqueles que me fazem sentir um pouco mais viva a cada dia. É a ansiedade, são as suposições, as incertezas, são todas essas coisas que me movem, quem me mantém em órbita. Para mim, o fundamental para ser humano vai muito além de raciocinar. O conceito pra mim vem da complexidade dos sentimentos e pensamentos, e na relatividade de todos eles. Eu sempre quis crer que pudessem haver sentimentos puros e absolutos. Amor e pronto. Raiva e é só isso. Carinho e nada mais. O que acontece é que isso seria simples demais, desumano demais. Tedioso demais. As pessoas não são complexas porque raciocinam. Raciocínio é matemático. É preto no branco. Poucas pessoas de fato são assim. Elas podem até querer que você as veja assim, mas poucas de fato são. Essa pessoa é desumana? Não posso afirmar isso. Nem quero rotular algo que eu desconheça, mas que não é algo corriqueiro, isso não é mesmo. Simplicidade também não é necessariamente o antônimo de complexidade. Daí eu destruo tudo que você aprendeu no colégio (se o seu colégio te ensinou a repetir e decorar ao invés de pensar). A simplicidade pode ser complexa e relativa. O que é simples pra você? Talvez o seu sentimento de paz seja algo simples? Pode ser. É simples porque você sabe o que te deixa em paz. Mas ter essa paz pode ser complexo, fazer com que ela se instale em você mesmo com toda essa simplicidade pode ser bem astucioso, engenhoso. Sabe quando alguém te diz o quão simples alguma coisa é, e você acha que a pessoa não vive no mesmo mundo que você? Por exemplo, alguém te diz pra esquecer uma pessoa "muito simples! Esqueça!" Sim, é simples. É simples se você não se importa com aquela pessoa. É simples você esquecer, se assim você sentir que deve ser. Mas quando seu pensamento diz que sim, e o sentimento diz que não, mais vezes do que não, o seu pensamento vai se render ao seu sentimento, e os dois vão caminhar juntos. Sim, como nada é regra, o seu pensamento (quero dizer o seu lado racional) vai calar todos os seus sentimentos, calar para o mundo, mas ele estará aí gritando dentro de você. E essa batalha eterna entre os dois, vai fazer com que coisas que poderiam ser bem simples na sua vida, sejam tudo aquilo que te atormenta de madrugada. Aqueles pensamentos que te movem, que te fazem caminhar, que são o combustível da vida.

Um comentário:

  1. "Incomodar não é ruim. Não fazer sentir nada talvez seja. Os pensamentos que me incomodam, e me inquietam, são exatamente aqueles que me fazem sentir um pouco mais viva a cada dia. É a ansiedade, são as suposições, as incertezas, são todas essas coisas que me movem, quem me mantém em órbita."

    Já começa com uma frase dessa não tem como eu não gostar. Não sei se é afinidade nossa, mas tem coisas (muitas) que você escreve, que se encaixam perfeitamente pro que eu penso/sinto..
    Sentimento que você desmembrou racionalmente (mais uma vez, que parada!) parte a parte no miolo e final do texto, mostrando que eles contrastam mas podem andar juntos, mesmo eles se opondo em alguns momentos, tá demais esse lance que você tem feito..
    Bem legal mesmo, teus textos tão traduzindo perfeitamente a idéia de relatividade que têm o blog. Tenho certeza que qualquer um que leia algum texto seu consegue identificar coisas deles no texto e mais que isso, conseguem refletir sobre todas as perspectivas que possam ter. Sou suspeito vai, mas de verdade, nada mal pra uma simples complexa escritora.

    ResponderExcluir