sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Energia gemea

Rostos sao iguais,
Trejeitos e ideais.
O toque parece nao ousar
Tai a diferenca em amar.

Olhos tem a mesma cor,
Cabelos o mesmo brilho.
Mas tua alma me desperta
Me faz fugir do trilho.

Para quem nao eh pra ser
Nao somos nem ouvidos,
quanto menos alma.
Somos nada, e tudo acalma.

A energia gemea ao contrario;
Nos faz perder o discernimento
O que nos impede do arbitrario.

Amar se faz em morrer,
E em matar.
Morrer de amores,
E matar o egoismo.

A energia difere;
Difere quem morre pela gente.
Os pontos se tornam fracos
E a fraqueza agora, fortaleza.

O tudo que somos eh aceito.
De tudo se eh feito
so pra ter nosso jeito,
E tudo que mora dentro do peito.

Nao existe ninguem que seja
Ninguem que tanto deseja
Nenhum Ser que por
Tanto se fraqueja.

E no final, tudo recomeca
Todo o dia, todos os dias.
E no meio do destino,
Solucao e desatino.

E que contigo sou e estou,
E que jamais deixarei de ser.
Somar-te-ei aos meus sonhos
Que assim tornam-se mais limpidos.

E a ti espero ser util
Ate mesmo quando sou futil.
Quero te fazer ser e estar
E te dar energia para criar.

E dai por diante
Serei a todo instante
Alguem por te guardar,
Muito alem de so amar.

Dedicado a Felippe Campos Taveira [my daily inspiration]

3 comentários:

  1. Tu escreve bem guria..
    Prefiro ainda os poeminhas às prosas.
    Você conhece o blog da Mariana Gross (aquela repórter da Globo)? Ela tem um blog e posta poeminhas no mesmo estilo dos seus.
    Você vai gostar.
    Tô te mandando o link via Twitter.
    Bjs,
    Vivi..

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigado pela homenagem meu amor...
    não sou bom com palavras como você, mas você pode ter certeza que a recíproca é mais que verdadeira...
    Love you so much apple of my eyes.

    Beijos,
    Felippe Taveira

    ResponderExcluir