terça-feira, 28 de setembro de 2010

Lullabies

Dorme querida,
dorme enquanto ainda sonha
Durma que a vida lhe aguarda

Dorme de dia
porque quando a noite chegar
o pesadelo pode te pegar

Seu sonho eh claro e branco
A noite eh obscura e real
Dorme querida anjinha

Anjinha que ha de crescer
E vai ver e crer
que dormir eh o pior que se pode fazer

Durma e nao veja passar
Porque quando chegar
Voce vai acordar

Acorde minha filha
Acorde para o mundo
Sonhar agora te faz ingenua

Acorde que o monstro vem
Voce nao quer estar de olhos fechados
quando o monstro vier, quer?

O mostro chegou
e ele nao esta debaixo da cama
ele esta de frente para voce

Querida monstra,
voce acordou o seu monstro
quem vai faze-lo dormir?

Cante para ele
cante cantigas de ninar
engane-o e assim ele vai te amar

Amando-a, cinica e envolvente
Ele se desarma
E ai voce o mata

Mata o seu temor
Mate-o com o seu amor
O seu amor barato

Durma novamente
tudo ja passou
Durma para sempre

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Dona Helena.

Sou uma mulher de 90 anos que nasceu na decada que nao se lembra. Nasci naquela Era esquecida quando ninguem se importava com identidade. Fui adulta quando crianca e depois o contrario. Aprendi tudo e depois descobri que as verdades nao serviam para nada. Vivi das emocoes, sempre no linear entre apaixonada e louca. Apaixonada pela vida eu era, andando numa corda bamba, sempre querendo cair para o lado de la. Caminhei por diferentes caminhos e paises; fiz de tolas muitas das pessoas que passaram por mim. Me fiz de tola para muitas das pessoas que passaram por mim. Fui de varias personalidades e nunca encontrei a minha. Espantei pessoas exoticas, enganei pessoas boas, mas nunca me juntei a pessoas ruins; eu as observava de longe. Fiz muitos amigos, e perdi alguns deles. Nunca passei sem ser notada ou sem deixar marcas. Fiz da vida um brinquedo nas minhas maos pequenas. Sofri e me desgastei por tudo, eu so nao aguentava nao sentir nada. Gastei meus 90 anos como se fossem 180. Descobri a melhor maneira de nao errar, nao tentando, e a partir dai comecei a errar feito louca. Depois de muito andar, quando comecei a sentir as pernas doendo, corri. As pernas entao adormeceram, e eu as espetei com agulhas para nunca mais deixar de senti-las. Foram com essas pernas que consegui nao chegar a lugar nenhum, nao podia abandona-las. Senti que depois de muito aprender eu nao tinha nada o que ensinar, aprendizados sao individuais. Sou conhecida como Dona Helena, aquela doida do segundo andar. Meus gatos tentam, mas nao conseguem convencer ninguem de que sou uma velha normal. Normal e com o pe na cova, como qualquer outra. Estou mais lucida do que a Jasmine, pois ela esta cega com as cenas monstruosas da juventude. E eu, com os olhos muito certeiros, consigo enxergar que a vida me foi uma brincadeira, dela fiz o que bem entendi, e ela fez de mim o que nao esperava fazer.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

O grande percurso

Ao nascermos somos grandes
Com grandes sonhos
Grandes destinos

Ao morrermos ainda somos grandes
Mas somos grandes ausencias
Grandes brancos no tempo

Ao meio de tudo somos pequenos
Somos mediocres e voluveis
Em meio de muitos outros iguais

Alucinados e retardados
Retardadores e aliados
Em meio de muitos outros iguais

Equanto o tempo corre
Somos sugados e nunca libertos
Ate que um dia sejamos grandes novamente

A redencao se faz com atitudes
Enquanto ainda somos formandos
Da universidade eterna da vivencia

A vida assim por se dizer
Nos faz correr contra o tempo
contra o tempo que nos faz perecer

E ao longo de tudo
O que nos faz felizes?
O que nos da diretrizes?

Alguem pode voltar?
Volte do mundo paralelo
para nos explicar

Do que eh feita a vida?
Para que serve a morte?
Aprendizado nos ensina de fato?

Precisamos de caminhos?
Os caminhos precisam de nos?
Somamos, ou nao nos diferenciamos?

Perguntas precisam de respostas?
As almas precisam estar dispostas?
De nada pode valer para as nossas

E o que realmente nos faz
Nao sabiamos dias atras
Agora sei o que me satisfaz

A vida me da e me tira
A vida me deram
A vida me tirarao

Por isso a cada dia
serei o que me for conveniente
Ninguem alem de mim
sofrera por ser ausente

E assim sigo
por entre o vao
que seja valido ou nao

Quero ser e estar
e nada pode me parar
equanto pela vida eu puder passear.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Simplicidade?

Hoje quero escrever, mas nao tenho grandes ideias ou boas palavras. Apenas o apenas. So o que esta na minha mente, a quem interessar possa. Cansada de trabalhar... e ai me pergunto "quem nao esta?" ... Estou em duvidas sobre muitas coisas do que sou; e mais uma vez "e quem nao esta? Sempre odiei o pensamento de viver a semana pensando so que o fim dela esta chegando, mas acho que nao ha problema nisso, rotina. Mas agora estou fazendo mais as coisas do meu jeito, e nao do jeito que esperam que seja. Mentira! Nao gosto de decepcionar as pessoas e gosto muito de saber que modifiquei a vida de alguem mesmo que com um simples ato, ou com uma mentira (Nossa, voce ta melhorando muito seu desempenho - incentivo as vezes cai bem). Por falar em incentivo... Estou numa fase 50% bem complicada. O que chamo de fase 50% eh o fato de eu querer mudar tudo na minha vida, vendo o lado ruim da coisa, mas ao mesmo tempo o lado bom nao me deixa jogar tudo pro alto. Afinal, foram coisas que eu conquistei, ninguem conquistou por mim. Claro que o medo de mudar pode atrapalhar e impedir...mas gosto de dançar conforme a musica. So ajo, quando sinto que devo. Andei surtando esses dias, e agora, depois desses surtos, estou com um equilibrio que nunca havia tido. Porem, por saber que tudo que ando fazendo eh pura escolha minha, e que a qualquer momento eu posso mudar de opiniao, eu acabo ficando menos tolerante para com certas coisas e pessoas. Ao mesmo tempo que tento agradar a alguns, nao faço a minima questao de fazer media com outros. Acho que isso se chama julgamento. Nao gosto de nao ter certeza das coisas, mas o fato de nao te-las acaba nos dando um receio construtivo; traduzindo: fico com medo do desconhecido e nao enfio os pes pelas maos, e penso bem antes de tomar qualquer atitude. Nao sei se isso eh o raio do amadurecimento, mas se for, que nao traga com ele as rugas e os fios brancos. Sinto falta da minha juventude, apesar de muitos me acharem nova. Sou mesmo, mas nao o tanto quanto era antes, e sei que mais tarde vou olhar para os meus 21 aninhos e vou pensar a mesmissima coisa. O que fazer entao? Viver ... viver da melhor maneira que eu consiguir, and go with the flow. Gosto de escrever quando tenho muitas coisas na minha mente, porque quando se tem muita coisa dentro da mente, os pensamentos ficam batendo nas paredes cranianas e se embolam. Escrever liberta meus pensamentos, assim deixando que eles se organizem, dentro e fora de mim.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Energia gemea

Rostos sao iguais,
Trejeitos e ideais.
O toque parece nao ousar
Tai a diferenca em amar.

Olhos tem a mesma cor,
Cabelos o mesmo brilho.
Mas tua alma me desperta
Me faz fugir do trilho.

Para quem nao eh pra ser
Nao somos nem ouvidos,
quanto menos alma.
Somos nada, e tudo acalma.

A energia gemea ao contrario;
Nos faz perder o discernimento
O que nos impede do arbitrario.

Amar se faz em morrer,
E em matar.
Morrer de amores,
E matar o egoismo.

A energia difere;
Difere quem morre pela gente.
Os pontos se tornam fracos
E a fraqueza agora, fortaleza.

O tudo que somos eh aceito.
De tudo se eh feito
so pra ter nosso jeito,
E tudo que mora dentro do peito.

Nao existe ninguem que seja
Ninguem que tanto deseja
Nenhum Ser que por
Tanto se fraqueja.

E no final, tudo recomeca
Todo o dia, todos os dias.
E no meio do destino,
Solucao e desatino.

E que contigo sou e estou,
E que jamais deixarei de ser.
Somar-te-ei aos meus sonhos
Que assim tornam-se mais limpidos.

E a ti espero ser util
Ate mesmo quando sou futil.
Quero te fazer ser e estar
E te dar energia para criar.

E dai por diante
Serei a todo instante
Alguem por te guardar,
Muito alem de so amar.

Dedicado a Felippe Campos Taveira [my daily inspiration]