terça-feira, 25 de maio de 2010

Nao estamos em Woodstock

Ter uma visao otimista do mundo nao basta. O que fortifica eh ter uma visao otimista do que ainda se pode conquistar como individuo. Pensar como individuo nao necessariamente exclui pensar no mundo ao redor; mas eh de extrema importancia que saibamos dividir e harmonizar isso, ao mesmo tempo. Ha quem diga que o ser humano tem a natureza boa e que a sociedade eh o q o corrompe, mas de que eh feita a sociedade se nao de seres humanos? Quem ainda luta por um mundo melhor eh considerado otimista por acrecditar que alguma coisa ainda possa melhorar. Mas o fato eh que quem luta nao eh otimista, mas corajoso o suficiente pra assumir que muita coisa depende dele mesmo como parte de toda uma sociedade. Muito facil seria pensar que nada tem jeito, porque nos poupa a obrigacao de tentar mesmo depois de falhar inumeras vezes. Nao estou falando de caridade, nao estou falando de dar a preferencia na fila do banco pra um deficiente (ate porque posso chocar muitas pessoas com isso, mas acho que nao posso ser punida por nao ser deficiente, tambem tenho coisas a fazer e se cheguei antes tenho o direito de sair antes; ate pq vc nem sabe se a pessoa sofreu algum acidente por estar dirigindo bebado...enfim..), estou falando de ter ciencia de que nossos atos tem, de alguma forma, algum efeito, tardio ou nao e que enquanto fazemos o bem pra nossa propria vida, estamos diminuindo o tempo que poderiamos estar fazendo o mal para outras vidas.

domingo, 9 de maio de 2010

Algumas decadas mais de volubilidade

Coisas que vao enquanto outras se aproximam. Tento realizar o quanto ja realizei quando em pouco completarei 21 anos de existencia. Quantas pessoas pessoas ja ajudei e quantas eu atrapalhei...Quantas coisas aprendi e quantas eu ensinei. O quanto ja chorei e o quao menos choraria se pudesse voltar no tempo; ou o quao mais. Nao conto vitorias nem derrotas porque sao sinonimos de fim. Estou no meio do caminho. Ainda penso em muito pela frente, mas se a frente nao tiver nada, o que poderei me vangloriar do passado? O que eu gostaria de mudar? Nao sei, porque simplesmente nao sei o quanto ganharia ou perderia com essas mudancas. Sou voluvel e nada exata. Alias, sou humana. Ainda espero reconhecimento mesmo sabendo que ele deve vir de dentro de mim. Mesmo minha mente me dizendo coisas razoaveis, eu ainda assim me deixo levar pelo que sinto. As vezes acho que todo mundo eh assim, e as vezes penso que so eu ajo dessa forma. Dificil conseguir entender que nao somos iguais, e que existe meio termo; sou o extremo, qualquer um deles. Escrevo sobre coisas que nem sei o que querem dizer. Sei o que querem dizer pra mim, mas nao pro mundo. Infelizmente o resto do mundo me incomoda. Infelizmente o resto do mundo me influencia. Sou hipocrita, e tento negar isso. O fato eh que nem sempre podemos ser tudo aquilo que queremos. Ate porque o "tudo aquilo que quero ser" muda a cada dia. Enquanto isso o tempo passa. E depois de duas decadas e um pouco mais, o que poderia falar sobre minha vida? Espero que ela esteja comecando agora, so assim posso escrever minha biografia a partir daqui, quando tenho mais consciencia das coisas, quando tenho ciencia de que nao sei quem eu sou, e nao como no passado que afirmava ser alguma coisa pronta quando na verdade estou num constante processo de mudanca. O que posso celebrar em alguns dias? Posso celebrar que mesmo com todos os meus erros, ainda tenho a oportunidade de estar aqui. E que mesmo com todos os meus defeitos ainda tenho com quem rir, ainda tem por quem chorar, ainda tenho alguem que me ama incondicionalmente, ainda tenho sonhos e pesadelos. Comemoro tudo o que eu ja fiz ate hoje, coisas boas ou ruins, foram elas que me fizeram ser quem eu sou, mesmo que isso nao seja suficientemente bom. O que realmente pode ser muito relativo. Eu achava que nao gostaria de morrer de velhice, mas talvez seja muito interessante passar por todas as fases da vida. Zerar o jogo. Entao comemoro esse ano, por ter ainda a possibilidade de zerar meu jogo. Porque ainda tem muito pra acontecer, e porque se nao tivesse mais nada pra acontecer, eu teria bastante coisa pra celebrar assim mesmo.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Spectator of my own life.

There are some times that the pressure is too much for me to handle. I try to live my life at ease. I have always tried to be Ms. Brightside, but more often than not I tend to fall apart, alone. The problem with people who always help others, is that they expect to be helped, but it is more likely that they are going to get disappointed with the result. I`m one of them! I expect people to be nice to me, because naive as I am, I have always believed in genuine kindness. However, it seems to me now that the ones I could rely on, are not in my world any longer. And all at once I became a part of the past, I became the part that don`t last. Hence now, I have only myself to blame, only myself to be hopeful about, only myself to rebuild whatever needs to be rebuilt. The optimistic side of my soul is now resting in peace. My fortress is my mind. My mind keeps on telling me the important things in life, my mind reinforces my aims, I shall not stop now. I do not know what road to take, all the ends are blind; so what does it matter where to go? I just have to keep walking [Jhonny Walkes says that, he is wise]. My claim may not be accomplished, but if I know what to claim for, I`m half-way there. "There where?" you might say. It really doesn`t matter. If I have no one else to share, no other single fragile human composed by flesh and bones by my side, I only have to please my engines. "Thou are part of the world just like them. In thy heart the love is no less important" my mind reminds me once and again. I shall not stop, I say. When pressure is Hell and Heaven is too good for who I am, I think about the days of yore. They shall come back someday. Someday. Today is too harsh, tomorrow may be harsher, though. Life is not what I was expecting for, because life is not what they told me it would be. Is this supposed to be life? It does not make a diffrente, I must walk ahead and don`t look back, that second has passed, what about the next ones?

terça-feira, 4 de maio de 2010

Hitler nao foi so mais um.

As pessoas vao e vem o tempo todo, queria saber que diferenca cada uma delas faz, e que diferenca faco eu nas outras vidas pelas quais eu passo. Acho que nao me importava antes se marcasse algo de bom ou de ruim, mas hoje sinto essa necessidade, como se fosse algo de extrema importancia, fazer tudo de bom que eu puder no hoje, como se o amanha realmente nao existisse. As coisas que fazemos e os momentos que passamos sao eternizados pelo sentimento e lembranca das pessoas que fizeram parte de nossas vidas. Sempre que alguem citar meu nome, gostaria que citasse pro bem. Coisas futeis da vida fazem parte de todas as vidas, e as pessoas devem ter ciencia disso. Mas o quanto mais tempo se gasta falando de futilidade, mais futil te tornas. Apreciar coisas boas eh essencial, e o que eh bom eh relativo, entao nao julgue o que eu aprecio, faz bem a mim e nao faz mal a ninguem, entao vale. Apreciar pessoas boas eh muito mais relativo; todo mundo eh bom e ruim em algum momento, ou em todos eles, cada um da sua forma particular. Depois de algum tempo voce consegue diferenciar o que te faz bem do que te faz sentir bem... fazer sentir bem pode ser momentaneo e superficial. Nao quero deixar marcas por onde eu passo, quero plantar coisas boas na alma de cada um, pra que isso se multiplique. As coisas ruins, planto dentro de mim mesma, que vao embora comigo assim q eu tambem for, mas as coisas boas devem proliferar. E eu nao tenho muito tempo, por que a vida eh muito curta e o dia so tem 24 horas. Tudo passa diante de nossos olhos, nao eh necessario mudar o mundo, se voce conseguir mudar pelo menos o seu mundo pra melhor..fenomeno da multiplicacao; as pessoas ao seu redor serao assim tambem, e assim sucessivamente. Ser so mais um eh completamente razoavel quando voce faz o bem, afinal, se nao ser so mais um fosse o mais importante, Hitler seria santo.

domingo, 2 de maio de 2010

Pensamentos de um cachorro

Todos nos precisamos de um motivo razoavel pra viver, esperancas, sonhos... quais seriam os sonhos caninos? meu cachorro por exemplo agora esta parado olhando fixamente pro vidro da varanda, deve ta se vendo e pensando "sera q sou o unico da minha especie?" (eh q ele nao sai de ksa)... Sera que o sonho de todo cao eh realmente ser fiel ao dono ate a morte? Imagino o que o Yuri (meu cachorro preto e branco) pensa qnd olha pra mim, ou quando vai na varanda e fica pegando ar nos pelos. E quando voce ta caminhando na rua, e vem um cachorro na sua direcao, e fica aquela coisa estranha de quem vai pra qual lado, como acontece com duas pessoas tbm...sera q ele pensa "pra que lado eu vou?" ? E por que sera que cachorros que sao maltratados na maioria das vezes nao revidam? simplesmente ficam parados com o rabo entre as pernas apanhando? E volta o cao arrependido... Meu cachorro reclama quando nao tem comida no pote, ou quando nao estamos em casa... faz xixi em tudo quanto eh lugar pra dizer sem palavras que ta puto da vida com a gente. Seriamos nos o mundo dele? Nunca parei pra imaginar como eh ser o mundo de alguem. Quando ele ta com medo, ele corre pra perto de mim...ele sente seguranca ao meu lado? Nunca imaginei alguem se sentindo seguro perto de mim. O yuri eh meio maluco, mas tambem nao poderia ser outra coisa vivendo na casa que vive. Fico imaginando se ele tem vontade de conhecer o mundo do lado de fora desse apartamento, sera que ele sobreviveria? Somos 3 maes que nao criaram o filho pro mundo. Ele tem epilepsia as vezes, e quando volta ao normal nao reconhece a gente e fica meio brabo...entao ele eh brabo no instinto dele, mas como nos ama, eh sempre amigavel. Isso talvez prove o quanto os caes criam lacos de amor como qualquer outro ser humano. Quando ele para e olha pra minha mae, parece que a adimira mais do que ninguem, e nao eh pelo simples fato dela colocar comida e agua geladinha no pote dele, ele sabe o quanto ela o ama. Seria interessante ler os pensamentos dele, pra saber o que o faz ainda ser um cachorro bonzinho e nao rebelde, um caozinho que nao tem planos pro futuro, nao tem uma esposa nem filhos mas mesmo assim vive cada dia brincalhao e carente. Somos muito dependentes das coisas mundanas, por que nao somos como caeszinhos que vivem do amor dos que vivem com ele? Seria tao bom ...

sábado, 1 de maio de 2010

A minha matematica

Dizem que sao as pequenas coisas da vida que a dao significado, mas se sao essas coisas que fazem a vida valer a pena, elas nao podem ser pequenas, sao grandes e essenciais. Damos muita atencao pras coisas passageiras, coisas vazias ate, e as coisas e pessoas que nos fazem ser quem somos caem no esquecimento ou ficam em segundo plano. A culpa nao eh da rotina, nao eh da cultura, nao eh dos medos, o erro esta na gente que insiste em ser igual a todo mundo e a idealizar coisas que sao comuns e por isso valorizadas. Nao que o comum seja algo ruim so por ser comum, o ruim eh querer isso so por ser mais simples, mais previsivel, mais estavel. As grandes coisas e pessoas da nossa vida sao aquelas que ja temos, e que nos completam quando ninguem mais esta ali pra julgar seu pensamento, aquelas que renegamos talvez, aquelas que nao fazem parte do que planejamos, mas simplesmente aconteceram. Aquelas que mesmo que nao tenhamos, estao conosco, do lado de dentro, preenchendo. Linearidade acaba por cegar, e quando alguma coisa que nao estava programado acontece, nao sabemos nos equilibrar. E eh nessa hora que percebemos que as grandes coisas da vida, sao relativas, so existem se permitirmos que existam. Um cheiro, uma imagem, um texto, uma pessoa, varias pessoas, um animalzinho, alguem que aprendeu alguma coisa com a gente, alguem que ensinou alguma coisa pra gente, a nossa casa, a nossa familia, uma manha que mesmo que cinza nos alegra, um gosto, um olhar... Essas sao pequenas coisas? Nao pra mim. Essas sao todas as coisas que me formam, que me encaminham, que me caracterizam, que dao razao a minha existencia. Temos uma grande influencia no mundo, e o mundo inteiro tem influencia sobre nos, e somos nos que fazemos a nossa vida, sabendo diferenciar as pequenas das grandes coisas e pessoas.